explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Stachys palustris L.
    Lamiales > Lamiaceae > Stachys > S. palustris (comparar)
    estaque, estaque-do-baixo-mondego, rabo-de-raposa-do-baixo-mondego
    autóctone
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    13 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Prados e orlas de vegetação ripícola, em sítios paludosos ou encharcados.
    Tipo biológico
    Helófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Criticamente Em Perigo
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Stachys palustris é uma erva perene ribeirinha, espalhada pela Europa e América do Norte, mas que em Portugal continental apenas é conhecida do Baixo Mondego, onde se conhecem atualmente três núcleos populacionais, em valas de arrozais e orlas de bosques paludosos. É avaliada como Criticamente em Perigo por apresentar uma extensão de ocorrência inferior a 100 km2, por se verificar um declínio continuado da qualidade do seu habitat e porque apenas se identifica uma localização. Além disso, a população nacional estima-se em 45-100 indivíduos maduros e infere-se o seu declínio continuado. A degradação de habitat é devida a pressões como a expansão de espécies invasoras, as limpezas regulares de vegetação nas valas onde habita, o uso de herbicidas e expansão agrícola. Deverá ser implementado um plano abrangente de conservação do seu habitat no Baixo Mondego, que promova a continuidade de habitat e que integre medidas de restauro, como o controlo de invasoras, a redução da poluição das massas de água, a gestão seletiva de vegetação nas valas e orlas de bosques e o condicionamento do uso de herbicidas. Deverão também ser previstas ações de sensibilização e divulgação junto dos produtores e autoridades administrativas locais sobre práticas agrícolas compatíveis com a conservação e modos de atuação para controlo de exóticas. Devem ser tomadas medidas para conservação de material genético em bancos de germoplasma e para a criação de indivíduos em viveiro. Todos os núcleos conhecidos devem ser alvo de monitorização regular de modo a acompanhar a sua tendência populacional.

    Dados

    Floração (n=7)
    Altitude (n=10)
    Distância ao mar (n=10)
    Download de mapas

     


    a carregar...