explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Spiraea hypericifolia subsp. obovata (Waldst. & Kit. ex Willd.) H.Huber
    Rosales > Rosaceae > Spiraea > S. hypericifolia (comparar)
    grinalda, espireia
    autóctone
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    23 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Sebes, orlas de bosques e matagais. Em leitos de cheia e margens rochosas de cursos de água permanentes.
    Observações
    Arbusto raro escassamente representado em Portugal. Excelente comportamento em jardinagem.
    Tipo biológico
    Fanerófito, Caméfito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Vulnerável
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Spiraea hypericifolia subsp. obovata é um pequeno arbusto que ocorre principalmente em matagais em leitos de cheia e margens rochosas de rios. É um endemismo ibero-gaulês, que em Portugal ocorre apenas no Minho e em Trás-os-Montes. Avalia-se como Vulnerável devido à sua reduzida extensão de ocorrência (cerca de 4000 km2) e área de ocupação (cerca de 50 km2), a identificarem-se apenas sete localizações (em três das quais só se conhece um único núcleo atualmente) e porque se infere declínio continuado no tamanho da população nacional e na área e qualidade do seu habitat. As principais ameaças estão relacionadas com fatores que provoquem mudanças no regime hidrológico dos cursos de água, quer devido a alterações climáticas (aumento da frequência e duração de secas extremas), quer pela construção de novas barragens. Outra ameaça sobre esta planta refere-se à possível poluição genética devido ao cultivo de inúmeros cultivares e híbridos do género Spiraea para fins ornamentais. Assim propõe-se um plano de gestão conjunto com outras rosáceas lenhosas de distribuição semelhante, que, no caso desta planta, incorpore a salvaguarda do património genético da população silvestre, o incentivo ao cultivo de plantas oriundas de subpopulações nativas nos territórios envolventes em detrimento de plantas exóticas e, ainda, proporcionar um estudo populacional dos núcleos conhecidos e sua monitorização cíclica.

    Dados

    Floração (n=3)
    Altitude (n=18)
    Distância ao mar (n=18)
    Download de mapas

     


    a carregar...