explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Santolina impressa Hoffmanns. & Link
    Asterales > Asteraceae > Santolina > S. impressa (comparar)
    marcetão-das-areias
    endémica
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    591 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Matos psamófilos em dunas estabilizadas (frequentemente paleodunas), por vezes sob coberto de pinhais. Em solos arenosos ácidos, tornando-se particularmente abundante em locais algo perturbados.
    Observações
    Endemismo restrito à região do estuário do Sado, sensivelmente desde Setúbal a Sines.
    Tipo biológico
    Caméfito
    Estatuto Directiva Habitats
    Anexo II da Directiva Habitats, Anexo IV da Directiva Habitats
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Pouco Preocupante
    Endémica de
    Portugal Continental
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Santolina impressa é uma planta endémica de Portugal continental, que apresenta uma distribuição restrita, sensivelmente entre Setúbal e Sines. Ocorre em matos psamófilos, sobre solos arenosos ácidos, geralmente em áreas ciclicamente perturbadas. Pode atingir elevada densidade de indivíduos e apresenta uma população numerosa. Existem algumas ameaças sobre alguns dos seus principais núcleos populacionais, principalmente no litoral norte do Alentejo, onde a expansão urbanística prevista e as alterações nos métodos de gestão dos povoamentos florestais poderão contribuir para a degradação da qualidade do seu habitat e para a redução do número de efetivos. No entanto, como não é expectável que estas ameaças possam conduzir à extinção da planta a médio prazo, esta espécie é avaliada como Pouco Preocupante, mantendo a categoria obtida na avaliação global anterior. Sugere-se a monitorização regular dos principais núcleos populacionais para avaliar os efeitos das ameaças descritas. Sugerem-se também medidas que, a longo prazo, assegurem a manutenção do bom estado de conservação da população, nomeadamente o condicionamento efetivo da expansão urbanística na sua área de distribuição e o incentivo da manutenção de práticas de gestão florestal compatíveis com os seus requisitos ecológicos.
    Comentários

    Parece estar a expandir-se pelos taludes da auto-estrada A2 quase até Almada.
    Miguel Porto em 3/12/2012

    Dados

    Floração (n=70)
    Altitude (n=597)
    Distância ao mar (n=597)
    Download de mapas

     


    a carregar...