explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Polygonum amphibium L.
    Caryophyllales > Polygonaceae > Polygonum > P. amphibium (comparar)
    persicária-anfíbia, polígono-anfíbio
    autóctone
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    120 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Comunidades herbáceas anfíbias na margem ou no leito de águas paradas, remansos de rios e ribeiras. Frequentemente em substratos arenosos e temporariamente inundados.
    Tipo biológico
    Geófito, Hidrófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Quase Ameaçada
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Polygonum amphibium é uma planta aquática, típica de águas paradas, com distribuição circumboreal, que em Portugal ocorre sobretudo, na metade litoral do território, a norte do rio Tejo. É avaliada como Quase Ameaçada aproximando-se do critério C1 para Vulnerável, porque apesar da população portuguesa ultrapassar os 10 000 indivíduos maduros, tem-se assistido a uma dramática redução populacional nas últimas décadas, devido a causas como a construção de barragens (e.g. Alqueva), conversão de zonas húmidas em áreas agrícolas e proliferação de espécies exóticas. Esta redução prevê-se que se vá manter no futuro próximo, caso se concretize a construção da barragem de Fridão, no rio Tâmega, cuja albufeira irá submergir a maior subpopulação atualmente conhecida. Aproxima-se também dos critérios B2ab(i,ii,iii,iv,v) para Vulnerável, pois apresenta uma área de ocupação reduzida e estão identificados declínios continuados na sua área de distribuição, número de localizações, tamanho da população e na área, qualidade e extensão do habitat, contudo o número de localizações é superior a 11. Recomenda-se a definição de uma área de proteção no rio Tâmega e a conservação ex situ para salvaguarda do seu património genético. Depois da construção da barragem do Fridão é imperativa uma nova avaliação da espécie, de forma a quantificar o impacto da barragem na subpopulação do Tâmega e averiguar um possível agravamento da categoria de ameaça. Esta reavaliação deve ser procedida por prospeção dirigida, principalmente na zona sul do território.

    Dados

    Floração (n=13)
    Altitude (n=119)
    Distância ao mar (n=119)
    Download de mapas

     


    a carregar...