explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Plumbago europaea L.
    Caryophyllales > Plumbaginaceae > Plumbago > P. europaea (comparar)
    dentilária, erva-das-feridas, erva-de-santo-antónio
    autóctone
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    68 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Bermas e taludes de caminhos, orlas de matos. Em locais secos e pedregosos, por vezes algo ruderalizados.
    Tipo biológico
    Caméfito, Geófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Quase Ameaçada
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Plumbago europaea é uma planta mediterrânica que em Portugal continental estava referenciada historicamente para Trás-os-Montes e para o Algarve, embora só existam registos de presença atuais nesta última região. É avaliado como Quase Ameaçado, aproximando-se da categoria Vulnerável pelos critérios B1ab(i,ii)+2ab(i,ii), pois apesar da sua reduzida extensão de ocorrência e área de ocupação e de apenas estarem identificadas 9 localizações, é incerto que a redução história da extensão de ocorrência e da área de ocupação corresponda a um declínio continuado. É uma planta que pode ocorrer em meios algo humanizados, contudo todos os núcleos populacionais conhecidos são de reduzida dimensão e suscetíveis de desaparecer em função de diversas perturbações humanas, destacando-se como principais ameaças, o recurso a herbicidas em ações de gestão de vegetação, as obras de beneficiação de caminhos rurais e a intensificação agrícola. Sugere-se a implementação de um plano articulado de gestão de habitat que inclua vários municípios e que assegure a manutenção dos núcleos e sua evolução demográfico, incluindo medidas como a proibição do uso de herbicidas nas ações de gestão de vegetação das bermas e definição de um manual de boas práticas para manutenção de caminhos rurais. Deverão também ser promovidos incentivos económicos para manutenção de pomares de sequeiro com gestão tradicional e efetuados reforços populacionais para se incrementar os efetivos dos núcleos conhecidos ou a criação de novos núcleos. Por último, deve-se promover uma monitorização bienal dos núcleos, com o intuito de avaliar a sua tendência populacional.

    Dados

    Floração (n=27)
    Altitude (n=67)
    Distância ao mar (n=67)
    Download de mapas

     


    a carregar...