explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Nigella papillosa G.López
    Ranunculales > Ranunculaceae > Nigella > N. papillosa (comparar)
    nigela-das-searas, alpivre-dos-campos, nigela-dos-baldios, nigela-dos-campos
    autóctone

    Distribuição mapa em constante actualização

    77 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia

    subsp. papillosa: Pousios e incultos, campos de sequeiro pouco intensivos, olivais tradicionais. Geralmente em solos calcários.

    subsp. atlantica: Pousios, campos incultos e baldios.

    Observações

    subsp. papillosa: Muito rara em Portugal. Provavelmente em declínio devido à intensificação agrícola e desaparecimento das práticas tradicionais.

    Tipo biológico
    Terófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Em Perigo
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Nigella papillosa é uma herbácea anual de flores muito vistosas que habita em searas e olivais tradicionais de sequeiro, em solos básicos. Atualmente, estão apenas confirmados três núcleos populacionais muito distantes entre si, constituindo subpopulações diferentes. O maior (Elvas) tem possivelmente alguns milhares de indivíduos, mas os restantes provavelmente não ultrapassam os 300 cada um. Existem diversos registos históricos desta planta nos arredores de Serpa que não voltaram a ser observados, e o único núcleo aí conhecido foi destruído recentemente. A planta avalia-se como Em Perigo porque se identificam somente quatro localizações, tem uma área de ocupação muito baixa (28 km2), e apresenta declínio continuado na área do habitat, na dimensão da população e na área de ocupação. A ameaça mais grave é a intensificação agrícola em larga escala que ocorre no Baixo Alentejo, que está a causar um declínio acentuado no habitat da planta, por conversão de sistemas de sequeiro em olival de regadio. A aplicação de herbicida pode também ter eliminado núcleos dos quais só há registo histórico. Propõe-se que a área onde ocorre a maior subpopulação desta planta (Elvas) seja integrada numa rede de conservação de habitats arvenses de sequeiro, em sinergia com várias outras espécies ameaçadas que aí partilham o mesmo habitat. Deve também ser dada alguma atenção à subpopulação de Alcácer do Sal, sensiblizando o proprietário para a sua manutenção através da não alteração das práticas de gestão que tem feito. Deve ser continuada a prospeção dirigida, particularmente na região de Serpa e Ferreira do Alentejo, onde não há confirmação atual de núcleos, embora existam registos históricos.

    Dados

    Floração (n=54)
    Altitude (n=77)
    Distância ao mar (n=77)
    Download de mapas

     


    a carregar...