explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Herniaria maritima Link
    Caryophyllales > Caryophyllaceae > Herniaria > H. maritima (comparar)
    herniária-marinha, herniária-das-praias
    endémica
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    156 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Dunas litorais, principalmente em clareiras de matos camefíticos e zimbrais em dunas fixas. Em substratos arenosos, neutros ou básicos.
    Tipo biológico
    Hemicriptófito
    Estatuto Directiva Habitats
    Anexo II da Directiva Habitats, Anexo IV da Directiva Habitats
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Pouco Preocupante
    Endémica de
    Portugal Continental
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Herniaria maritima é uma herbácea perene, rastejante, endémica da faixa litoral do centro e sul de Portugal, que faz parte das espécies características das comunidades arbustivas de dunas fixas e semi-fixas, onde é frequente sem nunca apresentar uma cobertura elevada. Não há uma estimativa fiável do número de efetivos global, mas deve rondar vários milhares, estando a maior parte da população compreendida entre Troia e Aljezur. A população mantém-se relativamente estável (à exceção de algumas reduções pontuais), embora não se possam descartar as ameaças que pesam sobre os sistemas dunares. Destas destacam-se todas aquelas relacionadas com as actividades balneares e de recreio, em particular o pisoteio e trânsito de veículos nas dunas, e a construção e beneficiação de infraestruturas relacionadas com os acessos às praias. Os núcleos populacionais a norte do Tejo são particularmente vulneráveis aos efeitos das ameaças, pois aí a planta ocorre de forma muito pontual, tendo já sido verificadas extinções locais que, a acontecer novamente, podem reduzir a extensão de ocorrência da espécie de forma importante. Pelo exposto, avalia-se a espécie como Pouco Preocupante, em conformidade com a avaliação global anterior. Sugere-se que seja tomado algum cuidado relativamente à conservação dos núcleos populacionais a norte do Tejo, por constituírem isolados populacionais no extremo norte da distribuição mundial, devendo ser monitorizados de forma a precaver futuras ameaças imprevisíveis.

    Dados

    Floração (n=12)
    Altitude (n=112)
    Distância ao mar (n=112)
    Download de mapas

     


    a carregar...