explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Crepis pusilla (Sommier) Merxm.
    Asterales > Asteraceae > Crepis > C. pusilla (comparar)
    autóctone
    Rara
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    50 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Prados anuais efémeros, em zonas pedregosas abertas calcárias, e bermas de caminhos. Por vezes em áreas com algum pisoteio.
    Observações
    Muito rara em Portugal, restrita à zona do Cabo Espichel-Serra da Arrábida e arredores de Lisboa mas em localizações dispersas e muito localizadas.
    Tipo biológico
    Terófito
    Estatuto Directiva Habitats
    Anexo II da Directiva Habitats, Anexo IV da Directiva Habitats
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Vulnerável
    Distribuição em Portugal Continental restrita a
    Estremadura
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Crepis pusilla é uma pequena erva anual acaule e completamente rasteira, endémica do mediterrâneo, que em Portugal ocorre somente em margens de caminhos e clareiras de carrascal nas regiões calcárias de Lisboa e Arrábida. É avaliada como Vulnerável porque apresenta uma extensão de ocorrência e área de ocupação restritas, bem como um número de localizações reduzido (seis). Numa das localizações, onde se encontra possivelmente o maior núcleo populacional da espécie, verifica-se um declínio continuado da qualidade do habitat devido ao depósito ilegal de resíduos que tem ocorrido continuamente ao longo dos anos e que continua a ocorrer. Dada a sua escala, suspeita-se que esta pressão tenha afectado o efetivo populacional deste núcleo por destruição direta, e, caso não se tomem medidas efetivas para parar esta perturbação, irá continuar a afetá-lo futuramente, com progressiva degradação do habitat e redução populacional. É assim urgente a reposição do estatuto de área protegida nos campos de lapiás de Negrais e Granja dos Serrões, o aumento de fiscalização de modo travar o depósito ilegal de resíduos e entulho nos núcleos populacionais e o condicionamento de atividades desportivas de veículos motorizados e trânsito de veículos ligeiros também nos núcleos da Arrábida-Espichel. Em paralelo, dever-se-ão realizar ações para a recuperação do habitat nestes campos de lapiás, limpando toda a área perturbada.
    Comentários

    Na Nova Flora de Portugal II (Franco, 1984) está sinalizada como "de espontaneidade incerta; possivelmente espontâneo". Aparente elemento esteno-mediterrânico tem uma distribuição errática desde Portugal até Turquia apenas pelas ilhas mediterrânicas (Baleares, Malta, ilhas gregas e Chipre), com excepção dos extremos da sua extensão de ocorrência (Euro+Med.
    Estêvão Portela-Pereira em 14/02/2019

    Um fácil local para a observar é na estrada de terra de acesso à pedreira abandonada/miradouro do Jaspe, bastante pisoteada pelas pessoas!
    Miguel Porto em 7/01/2013

    Dados

    Floração (n=3)
    Altitude (n=50)
    Distância ao mar (n=50)
    Download de mapas

     


    a carregar...