explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Convolvulus fernandesii P.Silva & Teles
    Solanales > Convolvulaceae > Convolvulus > C. fernandesii (comparar)
    corriola-do-espichel, corriola-lenhosa
    endémica
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    63 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Escarpas e fendas de afloramentos rochosos, em arribas litorais calcárias. Em locais com elevada exposição solar e verticalidade.
    Observações
    Endemismo do Cabo Espichel, tem toda a sua distribuição mundial entre este cabo e Sesimbra.
    Tipo biológico
    Caméfito, Escandente
    Estatuto Directiva Habitats
    Prioritária do Anexo II da Directiva Habitats, Anexo IV da Directiva Habitats
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Em Perigo
    Endémica de
    Estremadura
    Distribuição em Portugal Continental restrita a
    Estremadura
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Convolvulus fernandesii é uma planta endémica de Portugal continental, restrita às arribas costeiras calcárias da costa virada a sul entre Sesimbra e o cabo Espichel. Apresenta requisitos ecológicos muito específicos que limitam a sua distribuição a uma área muito reduzida, sendo a sua área de ocupação e extensão de ocorrência restritas a 32 km2. A população é pequena, composta por um reduzido número de indivíduos maduros (cerca de 500) e estimam-se apenas duas localizações, em função das principais ameaças identificadas, nomeadamente, a possibilidade de atividades de escalada e rappel não autorizadas e fatores estocásticos ou outras ameaças imprevisíveis que possam reduzir significativamente, num curto prazo, o número de indivíduos ou mesmo originar o desaparecimento da espécie. Foi recentemente registado um declínio continuado na qualidade do habitat e no número de indivíduos em vários núcleos populacionais, provavelmente devido ao efeito de fenómenos climatéricos extremos, nomeadamente secas intensas e continuadas e temperaturas anormalmente elevadas e também devido à abertura de vias de escalada. É, desta forma, avaliada como Em Perigo, agravando-se assim o nível de ameaça, que era de Vulnerável na avaliação global anterior. Não se sugerem medidas adicionais além da vigilância das atividades de escalada e rappel, devendo ser tomadas iniciativas para impedir a abertura de novas vias onde existam núcleos da planta, procurando também sensibilizar os praticantes destas atividades. Propõe-se a monitorização regular dos núcleos populacionais conhecidos, para acautelar a detecção precoce de indícios de declínio e efeitos de ameaças e pressões não previstas ou subavaliadas.

    Dados

    Floração (n=11)
    Altitude (n=61)
    Distância ao mar (n=61)
    Download de mapas

     


    a carregar...