explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Coincya transtagana (Cout.) Clem.-Muñoz & Hern-.Berm.
    Brassicales > Brassicaceae > Coincya > C. transtagana (comparar)
    mostarda-alentejana
    autóctone
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    74 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Em pastagens pedregosas, taludes e ladeiras rochosas e também sobre solos alterados em zonas mineiras.
    Tipo biológico
    Terófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Quase Ameaçada
    Endémica de
    Península Ibérica
    Características a confirmar
    -Frutos fortemente curvados e híspidos.
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Coincya transtagana é uma planta anual, endémica do sudoeste da Península Ibérica, que em Portugal ocorre de forma dispersa no interior do Alentejo e interior do Algarve setentrional. Ocupa pastagens pedregosas, clareiras de matos e vertentes rochosas, mas observa-se um declínio continuado na área de ocupação, área e qualidade do seu habitat e número de indivíduos maduros. A informação sobre a sua distribuição atual e sobre o tamanho da população é reduzida e a prospeção realizada foi insuficiente, pelo que os valores de subcritérios como a área de ocupação e o número de localizações são bastante incertos. Esta incerteza leva a que a planta possa ser considerada como Vulnerável, assumindo-se a existência de apenas 8 localizações ou Pouco Preocupante, assumindo-se a existência de um número de localizações superior a 13 e uma população nacional numerosa. Dada esta incerteza, opta-se por avaliar na categoria intermédia, Quase Ameaçada, por ser a mais plausível de acordo com a informação disponível. A principal pressão é a expansão e intensificação agrícola em curso na área de regadio do Alqueva, e ainda a alteração da forma tradicional do maneio do gado e a exploração de pedreiras. Sugere-se que os instrumentos de gestão territorial condicionem fortemente a implantação de novos blocos de regadio na sua área de distribuição histórica e armazenamento de sementes em bancos de germoplasma. Propõe-se a realização de prospeção dirigida em áreas de ocorrência histórica (e.g. Nordeste Algarvio, serras de Serpa, Portel e em Vila Viçosa). Deverá ser feito um estudo abrangente para se conhecer melhor a dimensão da população nacional e os impactos das pressões identificadas.

    Dados

    Floração (n=35)
    Altitude (n=67)
    Distância ao mar (n=67)
    Download de mapas

     


    a carregar...