explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Buxus sempervirens L.
    Buxales > Buxaceae > Buxus > B. sempervirens (comparar)
    buxo
    autóctone

    Distribuição mapa em constante actualização

    98 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Matagais ripícolas em leitos de cheia e barrancos, preferentemente em substratos pedregosos básicos ou ultrabásicos, ocasionalmente em xistos e granitos. Muito frequentemente empregue em jardins, também pode ocorrer como escapada de cultivo sob coberto de bosques e matas.
    Observações
    Planta, sem sombra de dúvida, indígena de Portugal, no leito de cheias dos grandes rios do NE. Madeira excelente para trabalhar ao torno. Tradicionalmente usada, na região de Miranda do Douro, em cabos de navalhas e nas ponteiras e das gaitas de foles.
    Tipo biológico
    Fanerófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Em Perigo
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Buxus sempervirens é um arbusto, eventualmente de porte arbóreo, que em Portugal continental ocorre de modo espontâneo em leitos de cheias e vertentes rochosas nos vales mais encaixados dos grandes afluentes da margem direita do rio Douro, a montante da Régua. A construção de barragens na bacia hidrográfica do rio Douro representou uma pressão significativa no passado, devido à destruição do habitat favorável. Esta pressão prolongou-se até à década de 2010, na qual se finalizaram as barragens do Baixo Sabor e Foz Tua. Infere-se que, pelo menos, 30% da população nacional possa ter desaparecido na última década. Este cenário é agravado pela recente introdução, em Portugal, da mariposa-do-buxo (Cydalima perspectalis), que representa a principal ameaça sobre a população nacional no futuro. É expectável que os efeitos combinados da construção de barragens e da mariposa-do-buxo possam representar uma perda superior a 50% da população nacional de buxo, no horizonte 2010-2040. A planta é assim avaliada como Em Perigo, o que é suportado também pela baixa área de ocupação e extensão de ocorrência, reduzido número de localizações (duas) e declínio continuado da área de ocupação, área e extensão do habitat e tamanho da população. Para conservação dos núcleos espontâneos desta planta em território nacional deverão ser estritamente preservados os vales onde estes ocorrem, sugerindo-se um reforço populacional dos núcleos mais isolados (sempre com material de origem espontânea). É também de enorme importância a monitorização dos núcleos de buxo e da distribuição de mariposa-do-buxo, acompanhadas por medidas de controlo desta espécie, que minimizem os eventuais estragos que poderá causar.

    Dados

    Floração (n=2)
    Altitude (n=84)
    Distância ao mar (n=84)
    Download de mapas

     


    a carregar...