explorar
ordensfamíliasgéneros

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXZ

    Bellevalia trifoliata (Ten.) Kunth
    Asparagales > Asparagaceae > Bellevalia > B. trifoliata (comparar)
    jacinto-triste*
    assumida como autóctone
    Muito rara
    Az
    Ma

    Distribuição mapa em constante actualização

    26 registos centrar | como citar

    espontâneo
    anterior a 1990 ou s.d.
    nova quadrícula
    escapado de cultivo
    extinto

    Detalhes

    Ecologia
    Olivais tradicionais de sequeiro em solo básico.
    Observações
    Conhecida apenas em muito poucos locais nos arredores de Beja, em pequenas parcelas de olival. A população mais próxima da portuguesa é em França.
    Tipo biológico
    Geófito
    Categoria de risco de extinção em Portugal Continental segundo critérios IUCN
    Criticamente Em Perigo
    Distribuição em Portugal Continental restrita a
    Alentejo
    Avaliação na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental
    Bellevalia trifoliata é uma planta bolbosa que habita em olivais tradicionais de sequeiro e pousios em solos básicos. É conhecida apenas em dois núcleos populacionais, um com 15 indivíduos em Beja, o outro com poucas dezenas, em Beringel. A população portuguesa representa um extraordinário isolado populacional, a 1300 km de distância da subpopulação mais próxima, em França. É avaliada como Criticamente Em Perigo porque a população nacional tem menos de 250 indivíduos maduros, infere-se e projeta-se um declínio populacional a partir do declínio observado na área e qualidade do habitat (em particular na região de Beja e Beringel, onde a planta ocorre), e todos os indivíduos estão numa só subpopulação. A ameaça mais grave é a intensificação agrícola em larga escala decorrente da exploração do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, que tem conduzido à substituição dos sistemas extensivos de sequeiro por culturas intensivas de regadio, em particular na envolvente do maior núcleo. Realça-se que, em 2018, várias parcelas de olival, incluindo uma em que a planta ocorre, foram eliminadas. Para a sua conservação é urgente designar uma área protegida que inclua a mancha de olivais onde se localiza o maior núcleo (a qual tem também outras espécies ameaçadas), que deve vir a integrar uma rede mais abrangente de conservação de habitats arvenses de sequeiro. Deve prosseguir-se a prospeção desta planta, em particular nos campos de sequeiro nas imediações do núcleo populacional de Beja, no sentido de encontrar outras parcelas candidatas a integrarem esta rede.

    Dados

    Floração (n=12)
    Altitude (n=26)
    Distância ao mar (n=26)
    Download de mapas

     


    a carregar...